Software e serviços: O que o distribuidor pode esperar em 2014?

Em 2013, a 4ª Pesquisa Inédita Setorial dos Distribuidores de TI e o 3º Censo de Revendas, da Associação Brasileira dos Distribuidores de Tecnologia da Informação (ABRADISTI), encomendada junto ao IT Data, apontou crescimento de 2% no setor.

17/03/2014 15:11

Por Mariano Gordinho*

Em 2013, a 4ª Pesquisa Inédita Setorial dos Distribuidores de TI e o 3º Censo de Revendas, da Associação Brasileira dos Distribuidores de Tecnologia da Informação (ABRADISTI), encomendada junto ao IT Data, apontou crescimento de 2% no setor.

O destaque ficou com os “Outros Produtos”, passando de 7% em 2012 para 14% nesse ano. Softwares e Serviços representaram 11% e 1%, respectivamente. Quem teve queda na participação foi o Hardware, que passou de 81% para 74%, do total dos 13,3 bilhões.

Os números de software e serviços chamaram a atenção por não sofrerem alterações frente ao ano retrasado. E assim surge a pergunta: O que esperar dessas categorias em 2014?

As expectativas são sempre baseadas naquilo que as revendas estão focando, e isso faz com que via de regra haja uma queda nas previsões de software e serviços. Aqui existe um problema, porque grande parte das vendas são ainda de licenças de grandes fabricantes como Microsoft, Oracle, Symantec, VMWare dentre outros, que normalmente são afetadas pela variação do dólar, e esse valor o cliente sente diretamente no bolso.

Para 2014, com a esperada estabilização da moeda norte-america, é possível que tenhamos um aumento em software e, consequentemente, em serviços, como implantação e suporte.

*Mariano Gordinho é presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de TI – Abradisti